terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Selinho gentilmente ofertado pela amiga Ianê Mello,
a quem agradeço o imenso carinho.
Visitem-na:
http://labirintosdaalma.blogspot.com/
*********************************************************************************
*********************************************************************************
E eis que chega, já, já, 2010. Quero, então...
........RECOMEÇAT............................................................................................................................................................................RECOMEÇAR.......................................................................................................

No findar de um tempo e recomeço de um outro, pára o povo a refletir sobre os passos dados,


a firmar desejos e - quase sempre - falsos juramentos, de que não mais se repetirá o sempre repetido.


Estamos, todos, necessitados de Graça. Graça para, na hora da saudade, encontrarmos campos, lírios e girassóis sob o céu e tranquilos, perto deles nos sentarmos e escutá-los.


Diria-nos eles sobre a nossa vã filosofia, pura tolice a nos aconselhar corridas, recorrendo a coisas puramente vãs. Cansados, mas possuidores das preocupações que não se cansam e que nunca nos cobre com a simplicidade eterna, gerada pela Paz.


Taça plena a nos embriagar, as nossas preocupações como relâmpagos vêm a cobrir, incessantemente, o nosso céu, a ofuscar a nossa vida.


Que o ano de 2010 nos envolva em imensa onda de Paz, a nos umedecer em Sabedoria que nos submerja, para depois, emergir=nos, sem do seu abraço nos arrancar.


Que uma nova porta se abra e um rosto sorridente nos acolha com mãos repletas de Amor, a perfumar-nos os sentidos, tal qual flores colhidas, em manhãs de Primavera.


E assim, na luz da Esperança, refletida em cada olhar, haja, a força e a coragem necessárias, para reabrir janelas, escancarar todas as portas e, sem medo algum, deixar a felicidade consagrar-se em corações plenos de fraternidade, repletos de boa vontade, lançados em abraços, em sorrisos, plantados, festejados, reaprendendo a amar.


........................................


...................................................





domingo, 27 de dezembro de 2009

É sonho, eu sei


Fez-se o meu coração
Asa movida pelo vento
E, peloscampos arados, passeou,
Vislumbrando-se,
Cheio de contentamento.
;
Olhos fechados,
Solto, no ar,
Busca alívio e, em deslumbramento,
Encontrou, na primavera,
Encanto, beleza e contentamento.
.
Ei-lo, então, a colher avencas,
cravos, lírios e jasmins.
É sonho, eu sei,
Mas, quero, continuo querendo,
Em sonho, prosseguir.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Querer


Quero a Primavera se levantando e eternizando-se em todos os corações, ditando leis, estabelecendo ordem.
Quero sorrisos se espalhando pelo ar, jorrando por entre o tempo, dissipando as dores e fazendo brotar todas as flores, a perfumar o ar, a levantar-se para o céu, a fazer jorrar a chuva sobre o chão.
Quero os campos se abrindo em tempos verdejantes e o vento, a soprar manso e refrescante, por sobre as multidões.
Quero passos valentes por entre o fogo, firmes sobre as águas, vencendo as batalhas.
Quero vozes a gritar o Amor, senhor e construtor, vencendo a dor, pregando a Paz, recriando o que foi devastado pela indiferença e pela ganância.
A Natureza vencendo, reagindo em cores, plantas, animais e amores, empunhando a espada de vencedores, devastando a devastação.
Quero o céu límpido, estrelas, aves a voar, passarada, em galhos frutíferos de árvores frondosas e verdejantes, livres a cantar.
Quero cantos de alegria, gritos triunfantes a expulsar o mal e a proclamar o Bem, entronando-o em cada coração vivente.
Quero fraternidade: o Bem resoluto e absoluto, ostentando Paz; o mal cabisbaixo, a fugir apavorado, derrotado, sem retorno.
Quero flores se abrindo... quero flores.
E, na imensa força do Amor, o grito infinito de vitória, a derrotar a feiúra do mal e a estabelecer a beleza eterna da Paz, em mim e em todos vós.
Quero flechas de Justiça em fogo, esmagando, perfurando as sombras, abatendo esconderijos, retornando a Luz.
E a Verdade a ecoar a sua voz, honestidade e decências a comandar as atitudes humanas,
a corrupção fugindo envergonhada, mortalmente ferida e os filhos da Terra em festejo eterno, a cantar e a sorrir.
Quero o respeito erguendo a sua voz, a solidariedade erguendo a mão, semeando Paz, Amor e Perdão, como senhora de todos nós, a tornar-nos senhores de todo o Bem, filhos do Amor, construtores da Paz.
Cônscios do seu destino: Amar, cantar, viver, sorrir.
Quero corações a se desatar, a se revelar em pura canção de Amor, refazendo a claridade, trazendo toda a boniteza que faz o homem, em paz, sorrir.
Quero colheitas abundantes, o trigo a abundar os campos, quero o povo a cantar.
Quero, em cada vida, a proclamação da Fé que cura, que eleva, fortalece e apura o que há de melhor em nós.
Quero cantos em plena rua, a expulsar a dor e o abandono, quero que o Amor seja o dono de todos nós, Amor sem fim.
Quero, sobre nós, beijos das noites e afagos da manhãs.
Quero eternos a luz da lua e o brilho do sol com todos os seus beijos sobre a Terra.
Quero aos homens de boa vontade, força e coragem; corações dóceis e punhos rijos, firmes para construir o caminhar, sobre um tempo eterno de Justiça e dignidade, devastando trevas, espalhando a Luz.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

O AMOR

O amor fugiu de mim,
Ascendeu-se,
Fez seu ninho
Em distante lugar.
.
Já não visita o meu ninho,
Não passa, sequer,
Pelo meu caminho,
Foi-se embora, a voar.
.
Hoje, o amor ignorou-me,
Não me olhou, não brincou
Nem me sorriu.
Sem aceno foi embora
para nunca mais voltar.
.
E eu, lutante na vida,
Sozinha e sem guarida,
Prossigo, luto, invento,
Escrevendo a minha história,
Espalhando o meu cantar.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Coração

Coração, não te deixes conturbar
Pelo barulho do que passam.
Atenta-te aos que ficam:
Esqueça cometas,
Fixa-te nas estrelas.
.
Coração,
Atenta-te para a proporção
da beleza,
Esqueça-te de toda malvadeza,
De tudo que possa te magoar.
..
Invista no Amor,
Não persigas essa dor,
Esqueça-te, dela te esqueça,
Não vale a pena lembrar.
.
Ignora a ambição pequena,
Renova-te!
Não vale a pena
O joio cultivar.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Não morras


Meu sonho, não morras!
Descruza os braços,
Dá-me um sorriso!
Estou aqui, há tanto tempo,
Sob o poente, a te esperar.
;
Guarda-me um sorriso,
Só isso preciso:
Que desnudes o tempo,
Disperses essas sombras,
Libertes o perfume das rosas escondidas.
Não te vás!
.
Eu sou aquela que
Sobre a montanha te espera.
Que escalou tantos precipícios...
Enfrentou tantas tempestades...
Só para te encontrar.
.
Meu sonho, não morras!
Preciso sentir a tua fragância
E, feito rosas desgarradas,
Os teus abraços a me abraçar.
.
Não morras, meu sonho!
Meu tempo é tão curto...
Mas, ainda tenho tempo
Para te ver chegar.
.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O Desafio


Recebi da amiga e poetisa Ursula Avner, o convite para completar 5 frases, por ela recebidas de uma outra amiga. Ao completar as frases, devo indicar 5 blogs cujos proprietários devem executar a mesma façanha: completar as frases, que são as seguinte:
1. Eu já...
2. Eu nunca
3. Eu sei
4. Eu quero
5. Eu sonho
.....
Vamos, então, às minhas respostas.
1. Eu já sonhei todos os sonhos
2. Eu nunca quis não sonhar.
3. Eu sei que sonhos podem ser só sonhos
4. Eu quero, entretanto, ao menos um realizar.
5. Eu sonho, na verdade, com um tempo de graça, em que todos os sonhos, realizem-se, num único sonhar.
.................
Agora, vamos às minhas indicações:
.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

O Sim


Que seria de mim, Maria,
Que seria de mim,
Se não tivesses dito aquele
Sim?
.
Que seria de mim,
Se, diante daquele Anjo,
Tivesses escolhido
o casamento planejado,
Negado, assim,
o Projeto criado para ti,
a favor de mim?
.
Pobre de mim,
Se, Gabriel entristecido,
voltasse cabisbaixo,
coração ferido
"Senhor, não consegui".
.
Pobre de mim,
Se ELE não nascesse,
Se Deus reafirmasse
O Seu desistir.
.
Ai de mim se
Tu, Jeus,não viesses,
Dando-me a vida, como deste
E por mim não sofresse aqui.
.
Seria minha aquela cruz,
Nunca veria a Tua luz,
Pois jamais suportaria
Tanta dor em mim.
.
Teria as mãos cravejadas
E, sob chicotadas,
Cuspiriam no meu rosto.
.
Pobre de mim, Senhor,
Crucificada, naquela cruz,
Sem conhecer-Te, Jesus,
Hoje, só trevas haveria em mim.
.
Senhor, obrigada
E perdoa-me,
Tenha pena de mim,
Por ainda não Te conhecer o bastante,
Por ainda não saber, deveras,
Agradecer-te
.
Transforma-me,
Ajuda-me a assemelhar-me a Ti,
Ensina-me a seguir,
amando o meu irmão,
sem distinção,
Ajuda-me!
.
.
Aumenta a minha fé,
Coloca, em mim, o dom do perdão
De Ti, aproxima-me!
Quero amar e servir,
Só por pura gratidão a Ti!
.
UM FELIZ NATAL, PARA TODOS!

domingo, 6 de dezembro de 2009

Meu canto

Ouço em mim
O canto aflito, escondido,
Persitindo em não se abrir,
Inspiração a querer fugir.
.
Difícil, num tempo sem beleza,
Permeado por tantas tristezas,
Encontrar razão para cantar,
Para o meu canto sorrir.
.
E o canto da própria dor,
De tanto, da garganta, eclodir,
Vai-me também abandonando,
Escondendo-se, temeroso,
Passo a passo a esvair-se.
.
Contudo, a esse tempo tirânico,
A querer apagar-me o direito
De cantar e ser feliz,
De mostrar o que há de melhor, em mim,
Encaro e grito: continuo aqui!
.
E com a alma em conflito,
Cercada pelo tempo triste, perdido,
Luto a reestabelecer, num grito,
O sonho de ser, o que eu sempre quis.
.
E,por entre preleções fingidas,
vazio e espaços sem fim,
Manifesto o meu canto; grito
Àqueles que também cantam:
Sigam-me!
.
Desafio as flechas velozes
do desamor, a me perseguir,
Acelero o meu olhar de águia, a voar
Pois, na velocidade das minhas asas,
Não poderão me atingir.
.
Alcançarei, então, as montanhas,
Ao emergir-me desse mar,
E pousarei no lugar mais alto,
outra vez,
A cantar, cantar e cantar,
O meu sonho, em mim.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Novo Tempo


Todo tempo se abre
Em luta,
Cada batalha é vencida
por amor.
.
Quero, hoje, força suficiente
Para desviar os meus olhos
do desencanto,
Crivar o meu pensamento,
além do nada,
Estabelecer o meu rumo,
no tudo.
.
Quero força para lutar
Contra o vento em desalinho,
Correr por sobre os sonhos
E colher a mansa brisa
da esperança.
.
Quero esperar,
com a certeza de chegar,
Vencendo dores,
Calando prantos,
Sorrindo, nas partidas.
.
Quero ir além
dos meus sentimentos,
Subtraindo a pequenez
dos açoites,
Ignorando ameaças de tempestades,
Revigorando o meu ser,
Em direção ao meu amor
que vale a pena.
.
Por sobre pedras,
replantarei o meu jardim.
E, em cada amanhecer,
Hei de ver novas flores se abrirem.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Ave Só

.

Não fui feita para ser multidão.
Fui feita ave solitária,
ave só,
A cantar um canto triste,
Que não aceita
e, por isso, insiste
em gritar alegria e dor.
.
Permeia desejos de partir,
Reluta, entre esperanças,
Que, ao ouvir,
Balança, agita e se vai.
.
Cobre-lhe o peito desejo infindo
De nunca, jamais desistir
E arranca, por entre rochas,
Sonhos perdidos,
Replanta desejos adormecidos,
Reergue-se, no tempo esquecido,
E perde-se, de novo, a sonhar.

sábado, 21 de novembro de 2009

Olga Soares, em Canto e Verso


EU em MIM
Olga Soares
.
.
Afundo-me na inconstância
do meu ser
E entre sonhos e desejos,
Perco-me de mim mesma.
E, então,
já não sei o que sou
Ou o que, um dia, fui
(Fui?)
Sou eu em mim
Ou um personagem incorporado?
Não sei.
Não encontro mais respostas
Nem sei se um dia as tive.
E prossigo debatendo-me
para não submergir,
Em meus próprios anseios.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Se eu fosse para Passárgada...


Se eu fosse para Passárgada,
Chegaria num arco-íris,
Pousaria em férteis campos,
Cercados por cânticos a florir.
Descansaria por sobre a relva,
Não montaria em burro bravo,
Voaria nas asas de um colibri.
Ouviria riachos, cachoeiras,
Saudaria as verdes árvores
E lhes contaria histórias
Que, da minha avó, ouvi.
Conversaria com os animais,
Perguntaria sobre a vida deles, por lá.
Dir-me-iam, com certeza,
Que são mais amados que os de cá.
.
Se eu fosse para Passárgada,
Iria visitar o mar.
Certamente, ele me diria
Que poluição não existe, por lá.
Deitaria, lá na praia
E logo o sol viria me abraçar.
Dar-lhe-ia, então, bom dia
E, com ele, começaria a conversar.
À noite, lá em Passárgada,
Eu iria passear.
Atravessaria bosques e florestas escuras,
Porque noites medrosas não existem por lá.
Veria o luar beijando a relva
e a relva, com verdes palavras,
enchendo o meu caminhar.
Lá, tudo é canto e poesia.
A Paz e o Amor pairam, no ar.
Por isso, se eu fosse Para Passárgada,
Não quereria mais voltar.
.
Lá, eu seria amiga do sol,
das estrelas e do luar.
Seria irmã de cada animal
E companheira de rios e de mar.
Lá, o sol e a lua se beijam,
Como não se beijam aqui,
Porque o ar que os envolve,
Ninguém ousa poluir.
As florestas abraçam rios
E ninguém os arranca de lá,
Pois entendem como Natureza,
homem, céu, terra e mar.
Os rios abraçam os campos
Que, aqui, o homem deixa em prantos.
Os pássaros fazem serestas inteiras
E a todos envolvem com os seus cantos.
Anatureza é uma festa.
Em Passárgada, não há dor.
O homem pula,canta e dança,
Sem espantar uma só flor.
.
Se eu fosse para Passárgada,
Certamente, não escutaria o choro
de nenhuma flor,
Não veria pássaros perdidos,
seus ni9nhos destruídos por puro desamor.
Não mais veria um cão sofrido,
pelas ruas a vagar.
Árvores tombando,
os seus gritos, a eclodirem-se, no ar.
.
Se eu fosse para Passárgada,
Lá, eu seria aquilo que sou.
Lá, eu seria também festejada,
nunca desprezada,
por ser amante da Natureza
e companheira do Amor.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Fruto


Certamente que chamarei
De milagre
Esse fruto, em minha vida.
.
Certamente que reconhecerei,
Eternamente, nesse fruto,
A primavera, a desabrochar,
No outono da minha vida.
.
Certamente reconheço
Hoje, fruto maduro,
A prometer-me novas sementes.
.
Fruto, meu fruto,
A criar sementes,
A soprar, em outros corações,
A vida que sopras em mim.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Esperança

Flutua...
Tempo flutuante,
Sem hora de chegada,
Certeza incerta, esperada,
À porta da esperança guardada.
.
E o vento leva,
O mar remoendo, envolvendo...
Divaga o meu canto,
Esperando a minha espera,
Sentimento sem fim.
.
Se procede, concede
Mais esperança...
Meu canto se levanta,
Para depois cair.
.
Caindo, reergue-se
Cansado, mas em espera,
Os meus olhos em ti.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

O Selo da Luz

.

Este selo foi-me oferecido pela amiga Doroni Hilgenberg
a quem deixo, aqui ,o meu agradecimento.
Quem receber este selo deve;
1)Agradecer a quem lhe deu o selo
2) Copiar e colar
3) Serguidora
4) escver 7 coisas interessantes sobre si
5) Presentear 7 amigos
.
Ofereço-o, então, aos amigos:
Elisa Gasparini Torres
Úrsula Avner
Emilia Soares
Gloria Salle
João Ferreira
Vilma Oliveira
Carmem Fossari
.
Sobre Mim
Sou alguém que vive em luta,
buscando encontrar o seu lugar.
Sou, às vezes força e coragem,
sou, às vezes ternura e fragilidade.
Sou mãe, amiga, mulher.
Amo a poesia,
amo os que a amam.
Gosto de boa música, amo a natureza e a alegria.
Tenho sonhado com um mundo melhor:
sou sonhadora,
mas sem tirar os pés do chão.
Amo a Deus, acima de todas as coisas
e creio(Nele reside a minha esperança e a minha fé)
Sou alguém que vive buscando aprender,
consciente da minha condição de aprendiz eterna.

sábado, 7 de novembro de 2009

Natureza

Amo a ti que não me escondes segredos,
Que me revelas verdadeira e pura,
A alma a romper a dor.
.
Amo a ti, na tarde que te acompanha,
A vibrar, nos teus mais altos ramos,
O canto que, em ti, se encontra.
.
Amo a ti que ama o cortante,
Aquele que remove a tua seiva,
A revolver o teu leito,
A arrancar a relva que te segue.
.
Amo a ti, como se ama o tudo,
Como se aguarda o nada,
Estendida por entre as tuas folhagens,
A esperar-te, no reencontro
entre o tu e o eu,
no ventre da terra mãe.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Para o meu coração


Para o meu coração,
Bastaria um sorriso,
Uma alma amiga,
Um desejo igual.
.
Para o meu coração,
Bastaria um canto acolhedor,
Um vento, de passagem,
A anunciar-me a paz, o amor.
.
]Para o meu coração,
Bastaria a doce ilusão adolescente,
A colorir o horizonte, eternamente,
Como orvalho, sobre a relva, a cantar.
.
Para o meu coração,
Bastaria a tua companhia,
Bênção de cada dia,
Que já não tenho mais.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Bom dia, pai!


Bom dia, meu pai!
Sinto saudades de ti.
Bom dia, meu tão amado pai,
Sinto tanta falta de ti...
Bom dia, inequecível pai,
Vivo a orar por ti,
Porque quero, somente,
Felicidades para ti.
Bom dia meu amigo, mais fiel companheiro,
Amo-te!

sábado, 31 de outubro de 2009

Felicidade

Felicidade é um verbo
Em que se conjuga valores.
É renúncia à vaidade,
É refutar arrogâncias,
Amar a Natureza
e tê-la como excelência.
.
Felicidade é intencionar-se,
na simplicidade,
É amar o amor,
É criar vínculos com a justiça,
Da verdade ser defensor.
.
Felicidade é crer
nos seus próprios propósitos
E com eles ser fiel.
É saber que nada se sabe
É descortinar os véus.
.
Felicidade é, no nosso esforço
Por uma vida em expansão,
Ter a plenitude de caminhar,
Intensamente,
Sem nunca ferir o irmão.
.
Felicidade é ser capaz
de prosseguir,
Quando a alma grita o seu apelo
E, sem hesitar,
Abandonar premissas enganadoras
Que permeiam as nossas vidas.
.
Felicidade é responder
ao apelo da nossa alma,
Compreender o sentido da dor,
Ser fiel à verdade
E, nunca, nunca desistir do Amor.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Sabedoria

Como posso esperar de alguém
aquilo que não possui?
Como posso buscar a verdade
sem ter sabedoria?
Como pode alguém ser admirado
sem fidelidade de propósitos?
É diante dos meus próprios olhos
que devo manter-me ´sabia.
E para isto me volto
E retrocedo ao essencial,
todas as vezes que isto me faz necesssário.
Quero ser eterna buscadora do saber.
Quero, com as leis da natureza,
aprender a viver,
Compreendê-la como um todo
que se ordena com razão,
mas onde nem tudo é razoável.

sábado, 24 de outubro de 2009

Meus Versos


Meus versos são como semente,
Sob o solo a esconder-se,
em meio a outras já brotadas,
Em desejo de germinar.
Pacientemente espera
uma nova estação.
.
Sementes são os meus versos,
A suportar a aridez dos caminhos,
A sobreviver ante ventos, tempestades, estios.
Os meus versos...
Pura vontade de expressar-se.

Minha Fé

Minha fé é sabedoria indomável,
A crescer e voar,
libertando-me das grades da ignorância,
Alçando voo
E carregando consigo o meu coração.
.Minha fé é passaporte,
Refúgio para a minha dor.
É voo extremo,
Mergulho profundo
Que apesar da minha pequenez,
Ultrapassa as minhas falhas,
as minhas imperfeições
E eleva-me, em louvor
ao meu Deus e Senhor.
A minha fé é a certeza
da minha canção,
A minha sincera oração,
a elevar-se, em procissão,
Alcançando o meu Senhor,
Atingindo o Seu coração.
Minha fé é tempo em reconstrução,
Sensação renovada,
Motivo para reflexão.
Aprendizado, crescimento
em eterna ação,
Chamamento, fortalecimento do meu ser,
Comunhão.
Minha fé é dádiva do Senhor,
Que apesar do meu nada,
Escolheu-me e confiou
Na verdade do meu coração.
Minha fé é ensejo.
Desejo de chegar a Deus.
É querer acerto ser
É mergulho sem fim,
É a força ardendo em mim,
Ousadia e destemor
A Deus servir.
É um dito de verdade,
O grito eterno a eclodir.
Minha fé é um barco a navegar.
E o mar é o meu Deus, meu mar sem fim.
E as ondas que me levam,
mar adentro a me conduzir,
São o imenso amor
Do meu Senhor,
em mim.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Poesilêncio


Meu silêncio é rio profundo
É deserto infinito, inalcançável
É todo um universo de palavras
Caladas.
.
Meu canto, sem palavras,
dorme
Como pássaros adormecidos.
Sonha. Não quer acordar.
.
Contudo,
Mesmo em silêncio,
quero-te, poesia, contemplar.
,
Romper contigo
Todas as auroras,
Quebrar o meu silêncio,
cantar.
.
`As vezes, em calmaria,
calmo, belo, lento mar.
Às vezes, em tempestade,
me dás força, me ensinas
a lutar.
.
E, agarrada às tuas vestes,
Retorno salva,
A te brindar.
.
Preciso eu, ainda falar?
Sim, por ti, em ti,
Preciso, ainda, a vida cantar
E, em mim, outras vidas festejar.
.
Poesia do meu amar,
Silêncio que me faz gritar,
Brando, lento, forte canto
A me impregnar.

domingo, 18 de outubro de 2009

SENHOR

Puseste, no meu peito,
um coração.
Preencheste-o de amor
e compaixão.
Regaste a minh'alma
de querer,
Arrancaste-me assim, da multidão.
.
Regas os meus sonhos,
eu sei.
Alicerça-os na verdade,
justiça e razão.
Mas... por entre buscas,
lutas, desejos,
Desencontro os meus pares
e só encontro solidão.


sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Inicio aqui a minha colaboração ao Blog Action Day, iniciativa de blogagem coletiva, feita pelo amigo Altair (http://almiranteaguia.blogspot.com),
a qual agradeço, pela oportunidade de participar.
O nosso planeta está em perigo.
É preciso que tenhamos a sensibilidade necessária para entender que já não basta amar o nosso planeta. Que já não basta querê-lo salvo das agressões e do desamor.
É preciso agir, tentar de alguma forma, mostrar às pessoas o que está ocorrendo ao nosso redor e que muitos fingem não ver.
As mudanças climáticas que vêm acontecendo no planeta, não é obra da natureza que quer nos dar o troco. A natureza não "dá o troco".
As mudanças climáticas estão ocorrendo devido às ações irresponsáveis daqueles que pela ganância esquecem até da sua própria sobrevivência.
Que todos possam fazer a sua parte.
.
Terra
Lanço a ti, oh Terra,

o meu amor ferido,

o meu amor sofrido,

a chorar por ti!

.Lanço-te o meu olhar ao teu regato

de águas, antes, tão cristalinas,

luzes a lutar,

contra a escuridão humana.

.Inclino-me a teus prados,

A contemplar as tuas flores.

Inclino-me, sobre elas,

a beijar-te, Terra mãe!

Eu sou aquela que

caminhante sobre ti,

Designada a te amar e por ti sofrer,

cavalga sobre as asas do vento

E vê tuas aves desgarradas,

O teu leito sangrando.

Sou aquela que, com os teus rios,

desata a chorar

E como as tuas aves,

sobrevoa, cansada e trêmula,

perseguida pela mão que agride,

escondida das armas sangrentas,

os teus campos a clamar.

.Sou aquela que guarda

um sorriso

E que, no silêncio da noite,

Pensa e ora por ti.

.Olho os teus frutos, oh Terra,

Esmagados sobre o chão,

predestinados à morte

como alguém, a quem foi negado

a reprodução.

.Olho para ti, oh Terra,

E invade-me a dor,

A compaixão por ti, por mim, por nós,

Fadados, pelas mãos do homem

à destruição, ao desamor.

.

Eu sou aquela que

caminhante sobre ti,

designada a tt


terça-feira, 13 de outubro de 2009

Estranho

Estranho o estranho acontecer,
Calcando os pés gigantes na Paz,
Eliminando a verde esperança
Como quem, impiedosamente,
Pisa nas gramas dos jardins.
.
Estranho não ouvir mais
O canto de um pássaro estranho
Que eu não conheço, jamais antes vi
E que pousava, todas as manhãs,
Nas árvores (já hoje tão estranhas)
do meu jardim.
.
Estranho eu ver as pessoas correndo,
Assim apressadas, irritadas, estressadas,
Pelas ruas da cidade,
Tão agitada e medrosa,
Como fugitivos de guerra,
a fugir.
.
Estranho quase não mais ver o mundo
Em sorrisos, dar bom dia,
Estender as mãos cálidas e generosas,
Distribuir abraços, desejar conhecer,
E amar a tudo e a todos, ao redor.
.
Estranho a vida se estranhando,
Fechando portas, trancando janelas,
Gradeando jardins, cercando-se,
Prisioneira em castigos,
por ser amiga da Paz.
.
Estranho ser castigado por ser bom,
Ser livre por ser mau...
Estranho eu estranhando assim?

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Maria


Maria, minha mãe,
Mãe dos que te amam,
Também daqueles
Que não amam a ti,
Obrigada pelo teu Sim.
.
Seja minha mãe,
Amiga companheira.
Ensina-me a teu filho seguir.
.
Repreenda-me os passos errados,
Ensina-me a crer, caminhar
E servir.
.
Maria, mãe de Jesus,
Interceda a meu favor,
Ensina-me a merecer do teu filho
Esse tão imenso e eterno Amor.
.
Entrando estamos, oh mãe,
Em tempos tenebrosos.
Ajuda-nos a ter corações
Puros e corajosos.
Ajuda-me a conseguir vencer
E chegar até aí.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Assenta-te


Assenta-te e
sinta o aroma dos jasmins.
Olha, ao redor, o campo em festa,
a sorrir para ti.
.
Esquecerás assim, talvez,
o caminho ainda a seguir
E, lá, bem dentro da tua alma,
sentirás que vale a pena persistir.
.
Assenta-te, não vá!
Ainda há tempo para não ir.
Refaze o leito, recolha as malas,
Assenta-te, aqui.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

A PAZ


Que venha a Paz!
Venha a Paz sobre nós,
os filhos da Paz,
E estenda-se por entre vales
íngremes e estreitos
que não podemos atravessar.
.
Venha a Paz,
desapegando-nos
de todos os medos,
abraçando-nos na solidão
e trazendo, no seu murmúrio,
o cálido canto de primavera
aos corações.
.
Que venha a Paz, sobre nós,
amantes da Paz
e nos ensine a afugentar
as ambições e vencê-las
com espadas de Amor e Justiça.
.
Que venha a Paz,
a crivar o fundo
de toda a violência,
curvando-a, diante de si.
.
Venha a Paz,
devastando maldições,
triturando as más ações,
criando Amor e Fé,
na pequenez dos nossos corações.
.
Que venha a Paz,como procissões,
a reensinar-nos a abrir
portas e janelas,
a espalhar cantigas de bocas sorridentes,
por becos e ruelas,
a contemplar a lua
e cantar-lhe o seresteiro.
.
Que venha a Paz,
deitar-se sobre o leito das paixões,
a redimir os corações,
esvoaçando-se pelo ar,
pintando os gestos em abraços,
sorrisos cantados por entre estrelas.
.
Que venha, sobre nós, a Paz!
Vertendo-se, no vale da vida,
A cantar-nos poemas,
Feliz mensageira.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

GIGANTE


Gigante, não tomes a favor
o que não te pertence,
Cuida dos filhos teus!
Deixa os filhos alheios
Pelos seus próprios serem cuidados.
.
Ama primeiro os teus filhos.
Sacia-lhes a fome
E, só depois,
Poderás de outros filhos cuidar.
.
Gigante, olha ao teu redor!
Vê quanta dor,
Vê quantas lágrimas,
por aqui a rolar!
.
Escuta, Gigante, os gritos dos teus filhos,
Violentados, esfomeados de justiça,
adoentados, injustiçados pela violência...
.
É sobre eles que o teu amor,
a tua solidariedade
Deve, antes, derramar-se.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Quem Sou


Sou sol e chuva,
Brisa e tempestade.
Sou vento leve
que carrega marés
e força incontida que
as arremessa na praia.
.
Sou sonho e realidade,
Alegria e tristeza.
Sou paz, sou amor.
.
Sou voo sem limite,
sou o limite do voo.
Sou asas querendo voar,
Sou asas a abrir-se sobre o mar.
.
Sou busca infinda,
a impetrar-se por entre colinas.
Sou busca de mar.
.
Sou caminho sem fim,
a caminhar sobre a dor.
Sou cantos de euforia,
Sou do grito o clamor.
.
Sou esperança incontida,
a atravessar a vida...
Eterna aprendiz eu sou.