terça-feira, 10 de novembro de 2009

Esperança

Flutua...
Tempo flutuante,
Sem hora de chegada,
Certeza incerta, esperada,
À porta da esperança guardada.
.
E o vento leva,
O mar remoendo, envolvendo...
Divaga o meu canto,
Esperando a minha espera,
Sentimento sem fim.
.
Se procede, concede
Mais esperança...
Meu canto se levanta,
Para depois cair.
.
Caindo, reergue-se
Cansado, mas em espera,
Os meus olhos em ti.

3 comentários:

  1. Oi Lice, um mimo de poesia num encadeamento melodioso de ideias... Como tenho pensado e tentado firmar minha mente nesta palavra ultimamente ! - ESPERANÇA- é o que nos sustenta... Bj.

    ResponderExcluir
  2. Soltos aromas a terra molhada
    A geada cobre o ventre da ilha
    Dos golfinhos só resta a lembrança
    Do alto um milhafre comtempla a maravilha

    Subi ao sítio mais alto
    Contemplei no longe Santa Maria
    Desci ao vale a caminho do sul
    Fechei os olhos ao que sentia

    Sete são os sortilégios
    Sete são as dores sentidas
    Sete eram os filhos de pé descalço
    Sete eram as almas perdidas


    Boa semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir