terça-feira, 28 de julho de 2009

Chega a Noite

Chega a noite.
E o silêncio sucede o tumulto
E retoma-me, em seus braços.
.
Chega a noite, repleta de quietude
E me lança na profundeza dos pensamentos,
Que, cheio de saudades, ausente de palavras,
Solta as correntes e voa.
.
E, entre o despertar dos sonhos
E o retorno à realidade, encontro-te.
Recoberto de distâncias,
Repleto da saudade que nos envolve.
.
E, por entre a distância que nos separa,
Estende-me a mão cálida.
Abre-se em abraços os nossos corações,
Sedentos de nós dois.

6 comentários:

  1. minha tia que coisa linda estou muito orgulhosa de ser sua sobbrinha beijos saudades

    ResponderExcluir
  2. Oi irmã na poesia, sua delicadeza na escrita volta a encantar em mais esta adorável poesia. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Olá Lice, muito obrigada pelas palavras e pela força!!!
    Que Deus te abençõe!!!
    Gostei muito dos seus blogs e já sou seguidora de um deles...
    Bom dia p ti!!!
    Bjão

    ResponderExcluir
  4. um gostoso poema querida poetisa, saiba que gostei muito do seu blog, um forte abraço e fique em paz.

    ResponderExcluir
  5. Uma poesia encantadora, a solidão, a saudade, e a solução ao alcance da mão.

    Visitei os outros sites, escreves com muita vontade.

    Grande Abraço

    ResponderExcluir