sábado, 12 de setembro de 2009

Eu, solidão

Eu, solidão,
Riacho, lentamente, atravessando
vales,
Entrecortando precipícios,
Buscando a nascente
De um coração.
.
Eu, solidão,
Silêncio cantado,
Investigado, observado,
A desembarcar no deserto,
A explorar porões.
.
Eu, solidão,
Em meio ao silêncio aflito,
A desembainhar mil gritos,
A mergulhar-se em canções.
.
Eu...
Solidão.

7 comentários:

  1. Querida amiga e poetisa, seus versos continuam encantando pela delicadeza e beleza poéticas. Bj com gotinhas de poesia.

    ResponderExcluir
  2. Lice
    que lindo....Parabéns.
    Tenho estado menos tempo na internet, pois estou dirigindo e produzindo um espetáculo de teatro com quase 40 pessoas entre atores, musicos e técnicos, o que me toma o tempo todo...
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Poetisa amiga, com esse poema você parece ler os meus pensamentos. Adoro simplesmente tudo que você escreve.

    Um grande beijo,

    Wilson Macêdo

    ResponderExcluir
  4. Quão suave é sua escrita, ao mesmo tempo profunda diria até que dá vicio.
    Bom domingo e um beijo.
    Emely

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Como eu amo poesia... e melhor, como eu amo ver a poesia brotando de sentimentos assim, tão sutis ao passo que tão expostos...

    Parabéns amiga poetisa... lindos poemas!

    Espero poder contar sempre com suas visitas no http://temporalatemporal.blogspot.com/

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. Minha linda amiga! È sempre muito prazeroso
    ler suas poesias, esta então!
    È expecial...
    Grande beijo

    ResponderExcluir