sábado, 30 de outubro de 2010

A Poesia e a Alma

Poesia e alma
apoiam-se: campo e luz.
E, quando a alma se agita
e torna-se árida e deserta,
sobre ela resplandece a luz,
a banhar-lhe o ventre,
fertilizando entranhas
e, delas, fazendo brotar flores campestres,
a embelezar o tempo,
a perfumar o vento,
a encantar os passantes.

6 comentários:

  1. Olá, Lice querida
    As flores campestres me fazem bem aos olhos da alma.
    Lindo post!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. CAda vez mais lindas suas poesias....

    ResponderExcluir
  3. Oi Otelice,

    Como sempre com suas belíssimas publicações!

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Minha querida

    Quanta doçura nesta poesia, quanta ternura, leve como a brisa, adorei.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  5. Otelice
    Amo poesias mas não tenho esse dom com as palavras,adorei e com certeza colocarei no meu orkut divulgando teu nome claro e de Estrela.Enorme abraço.

    ResponderExcluir